Demanda reprimida vai puxar vendas do varejo nos Estados Unidos

Foto: Pixabay

Apesar do aumento da propagação da variante Delta do coronavírus e dos problemas na cadeia de abastecimento por falta de mão de obra, as vendas no varejo dos Estados Unidos seguem aceleradas pela demanda reprimida na pandemia.

“Mesmo com a variante Delta, vemos uma demanda reprimida, com as pessoas se planejando a voltar às aulas, e revisamos a nossa projeção de gastos no varejo, de uma média de 6,5% a 8,5% para 10% e 12%”, afirma Matthew Shay, presidente e CEO da National Retail Federation, que participou da abertura do Latam Retail Show 2021.

Segundo ele, nos primeiros sete meses deste ano, as vendas no varejo já subiram 15% em relação ao mesmo período de 2020. “Temos uma base sólida à medida que avançamos para o segundo semestre do ano”, diz.

Além da demanda reprimida, explica, algumas empresas foram impulsionadas pelas formas criativas de atender e se envolver com seus clientes, como as lojas especializadas de roupas e departamento. “Eles foram muito ágeis de encontrar maneiras de atender os clientes, da forma que eles desejam e precisam”, conta.

Sociedade 5.0

Realizada pela Gouvêa Ecosystem, a sexta edição do Latam Retail Show terá como macrotema a Sociedade 5.0, que é aquela impactada pela tecnologia e pelo digital. Neste ano serão 220 palestrantes, 82 horas de conteúdo e até 5 palcos em paralelo e com três pesquisas exclusivas: uma desenvolvida pela Mosaiclab (nosso braço de estudo de mercado e inteligência).

Na abertura, o fundador e CEO do grupo, Marcos Gouvêa de Souza, destacou a importância das práticas ESG no varejo. “Vamos assinar com o Sebrae um convênio que envolve o IDV, o Sebrae e a Gouvêa para que as práticas de ESG das grandes organizações de varejo e seus fornecedores possam ser difundidas para pequenos e grandes MEIs da forma que possam se engajar nessa transformação do mercado pela adoção das práticas ESG”, diz.

Gouvêa também destacou o matching Brasil-China para desenvolvimento do consumo e do varejo, que está sendo realizado pela Gouvêa China Desk, e o lançamento da Gouvêa Adademy, braço de educação corporativa para o varejo e consumo, que já nasce com vínculos internacionais relevantes para contribuir com o desenvolvimento na educação e em conceitos empresariais para todo o segmento de varejo e consumo.

Outros lançamentos anunciados fora a plataforma Gogôu, marketplace de venda de conteúdo pela internet, e o projeto Bidfood Bank, de pagamentos com serviços financeiros focado no setor de foodservice.

Fonte: Mercado & Consumo | 14 de Setembro de 2021