Valor médio do presente de Dia das Crianças cresce 8%

Foto: Mercado & Consumo

Presentear no Dia das Crianças é um hábito comum entre os brasileiros. Para este ano, a previsão é que o ticket médio das compras para a data será de R$206, o que representa um crescimento de 8% em relação ao valor médio gasto na data em 2018. O levantamento é parte da Pesquisa Hábitos de Consumo realizada pela Boa Vista com cerca de 600 consumidores, em todo o país. A alta é superior à inflação de 3,4% no período.

De acordo com a pesquisa, porém, haverá uma queda no percentual de consumidores que comprarão presentes de Dia das Crianças. Este ano, 65% dos entrevistados para a pesquisa afirmaram que farão compras na data, uma queda de 5 pontos em relação ao ano passado, quando 70% dos consumidores afirmaram que comprariam presentes para o Dia das Crianças.

41% dos entrevistados que pretendem comprar presentes neste Dia das Crianças irão gastar o mesmo valor do presente de 2018 e 40% irão gastar mais este ano. Apenas 19% dos consumidores informaram que irão comprar um presente mais barato este ano.

Para pagar as compras deste ano, 55% irão fazer o pagamento à vista e 45% de forma parcelada, o que representa um aumento de 13 p.p. em relação ao ano passado. Entre os que pagarão a compra à vista, 41% utilizarão dinheiro em espécie, 32% o cartão de débito, 19% cartão de crédito, 8% no carnê ou boleto e 1% com cheque.

Entre os 45% que parcelarão o valor do presente, 93% usarão o cartão de crédito, 6% o carnê ou boleto e 1% o cartão de débito programado.

Por outro lado, 35% dos pesquisados não comprarão presentes na data. Os principais motivos para isso são: 39% afirmam que estão endividados, 22% estão desempregados, 19% necessitam conter despesas, 11% priorizarão o pagamento das contas da casa (água, luz, escola, etc.), 6% devido ao aumento dos preços, da inflação e das taxas de juros e 3% pela redução da renda familiar e do salário.

Conforme o esperado, os brinquedos continuam sendo a principal opção para presentear no Dia das Crianças, com 52% das menções dos consumidores entrevistados. Em segundo lugar, ficam os itens de vestuário e calçados, com 22%. Eletrônicos (TV, tablet, videogame, smartphone, etc) foram citados por 16%, enquanto 5% pretendem presentear a criança com opções de entretenimento (cinema, parque, teatro, etc). Livros, CDs e DVDs serão a opção de outros 3%. 2% darão uma viagem de presente para a criança e 1% dos entrevistados dará outro tipo de presente não especificado.

O levantamento também identificou que 47% dos consumidores que comprarão presentes para a data pretendem presentear os filhos; 26% os sobrinhos, 14% afilhados, 8% netos e, por fim, 5% presentearão outras crianças.

Os principais fatores a serem levados em conta na escolha dos presentes serão preço, promoção ou desconto, opção indicada por 38% dos pesquisados. Para outros 33%, o fator de escolha será o desejo da criança, enquanto a necessidade ou utilidade do presente influenciará a compra de 23%. Por último, 6% dos consumidores serão influenciados pela qualidade e pela marca do produto.

Para a realização das compras, 71% dos entrevistados escolherão as lojas físicas, dos quais 42% irão a lojas de rua/bairro, 34% a shoppings centers, 22% a grandes redes varejistas ou lojas de departamento, e 2% para super/hipermercados. Os demais 29% comprarão os presentes para o Dia das Crianças em lojas online.

Quando questionados se trocariam o presente por uma modalidade de investimento, pensando no futuro da criança, 47% dos consumidores afirmaram que sim. Dentre eles, 59% optariam pela poupança, 14% por fundos, ações ou CDB (Certificado de Depósito Bancário), 7% pela previdência privada, 10% por títulos de capitalização e outros 10% por outros tipos de investimentos.

Fonte: Mercado & Consumo | 08 de outubro de 2019