Shoppings esperam diálogo com o governo de Pernambuco para flexibilizar reabertura

Foto: JC Imagem

O retorno gradual do comércio em Pernambuco durante a pandemia do novo coronavírus tem gerado debates entre os setores que precisam voltar às atividades. Em entrevista ao Passando à Limpo desta quarta-feira (3), o presidente da Associação Pernambucana de Shopping Center, Paulo Carneiro, afirmou que espera um maior diálogo com o governo estadual para que haja uma flexibilização das diretrizes que visam a volta da abertura de shoppings centers até o fim de junho.

“Nós tivemos um diálogo com o governo. Dialogamos com o secretário com Bruno Schwambach, com o secretário da Fazenda, Décio Padilha, com o secretário da Casa Civil, Zé Neto, apresentamos propostas mas, lamentavelmente, não foram aceitas. Eles apenas receberam as informações, ficaram só ouvindo. Nós temos esperança que nessa retomada do diálogo nós possamos aperfeiçoar com o governo essas datas que estão marcadas. E vamos abrir sempre com segurança, baseada em protocolos. A ideia é abrir parcialmente. Eu acho que o diálogo precisa ser ampliado.”

Carneiro vê com preocupação um prazo mais longo de retorno do funcionamento das lojas para os pequenos lojistas. “Cerca de 70% dos lojistas de shopping centrar são pequenos comerciantes. Talvez em 29 de junho voltem a operar de uma forma não plenas. Teremos 100 dias de lojistas sem faturar. Nós acreditamos que 15% a 20% dos lojistas do shopping não reabram. É um problema seríssimo.”

De acordo com plano estadual, os consumidores só poderão frequentar os shoppings centers no esquema de drive thru – quando a compra é feita de maneira online e a pessoa vai até o estacionamento do shopping para pegar o produto – a partir do dia 15. Carneiro acredita que o retorno das atividades poderia ser mais rápido. “A nossa avaliação ao plano apresentado pelo governador é, como um próprio governo diz, um plano muito conservador. Na apresentação, foi mostrado pelo governo, que é de uma estabilização da curva e que o contágio está inferior a 1. São dois indicadores muito bons. Então nós tínhamos a expectativa de que pudéssemos retomar as atividades num período mais curto”, afirmou Carneiro.

Ele ainda comparou o plano pernambucano com outras capitais nordestinas, como Fortaleza (CE) e Salvador (BA), que já têm um funcionamento de shoppings de maneira mais flexível. “Em Fortaleza, os shoppings já começam a operar a partir de segunda-feira, praticamente na sua plenitude. Em Salvador, o drive thru, que aqui só vai começar no dia 15 de junho, já opera há mais de um mês e com absoluto sucesso. Então, em Pernambuco, há um retardamento dessas ações.”

O presidente reforçou ainda que a volta das atividades dos centros de compras deverá vir reforçada com campanhas de conscientização dos consumidores para o alerta à saúde. “Antes da abertura dos shoppings, a nossa associação vai divulgar um vídeo, bem detalhado, com todos os cuidados que serão tomados na volta da operação. [Medição de] temperatura, álcool em gel, elevador com menos pessoas, são 23 itens que serão bem apresentados nesse vídeo para passar paras as pessoas que há protocolos de segurança.”

Fonte: TV Jornal | 03 de junho de 2020