Para 40% dos lojistas, Dia das Crianças pode ter aumento de 5% nas vendas

Imagem: Bigstock

Apontada pelo pequeno varejo e pelo setor especializado como a segunda data mais importante do segundo semestre para o comércio, o Dia das Crianças pode ser mais positivo para o varejo.

De acordo com pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), para 40% do varejo de São Paulo, a data pode trazer um aumento de 5% nas vendas do comércio.

“O Dia das Crianças é uma data tradicional para o comércio. Esperamos um impacto positivo nas vendas. É uma grande oportunidade para essa retomada”, explica o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff.

Vendas divididas entre lojas físicas e virtuais

Com a transformação econômica desse ano, cerca de 53,3% dos lojistas supõem que as vendas do Dia das Crianças podem ficar divididas entre lojas físicas e virtuais.

Já para 40%, o e-commerce pode alavancar as vendas, atingindo os consumidores que preferem receber as compras em suas casas. Outros 6,7% supõem que as lojas físicas serão as mais beneficiadas devido ao volume considerável de clientes nas ruas.

Oito em cada dez lojistas acreditam que facilitar as formas de pagamento – como aumentar o número de parcelas – é a melhor forma de atrair os clientes para as lojas, além de oferecer descontos progressivos para o consumidor levar duas peças, por exemplo.

Brinquedos, vestuário e calçados

Para os comerciantes, os setores que mais podem ser beneficiados são os de brinquedo, vestuário e calçados, além dos eletrônicos, como celular, tablet, notebook e videogames.

Os lojistas também relatam que, pelo fato de o Dia das Crianças ser uma data tradicional no varejo, familiares e parentes têm o costume de presentear netos e sobrinhos e a prorrogação do auxílio emergencial será de grande ajuda para movimentar o comércio.

A pesquisa foi realizada com a participação das principais CDLs do Estado de São Paulo.

Fonte: Mercado & Consumo | 25 de setembro de 2020.