iFood vai ampliar parceria com supermercados em 2020

O aplicativo de delivery de refeições iFood vai ampliar seu serviço de entrega de produtos de supermercado em 2020, área em que começou a operar em junho deste ano. Controlada pela brasileira Movile, a empresa vai elevar o número de parcerias com supermercados para cerca de 1 mil estabelecimentos até o final do primeiro semestre do ano que vem, disse ontem o diretor financeiro do iFood, Diego Barreto.

Hoje, a empresa utiliza uma rede de 200 supermercados, espalhados por 80 cidades do País. A operação com supermercados atraiu nesta semana a rede varejista BIG, anteriormente conhecida como Walmart Brasil, e deve incluir novas bandeiras nos próximos meses, além de supermercados regionais, disse o executivo. “Esperamos redes de capilaridade nacional entrando no serviço nos próximos meses, assim como captação natural de supermercados regionais, que possuem uma estrutura de venda online menor e esperam complementar suas ofertas com a gente.”

Com a iniciativa, a empresa amplia sua rivalidade com a colombiana Rappi, que também possui serviço de entregas de refeições e de produtos de supermercados. Outro competidor no novo setor é o James, startup que pertence ao Grupo Pão de Açúcar.

Fundada em 2011, a empresa é considerada um dos unicórnios brasileiros – startup avaliada acima de US$ 1 bilhão – desde que, em novembro passado, recebeu um aporte de US$ 500 milhões dos fundos Naspers e Innova Capital. Além da abertura da operação com supermercados, os recursos estão sendo utilizados pela empresa para o desenvolvimento de serviços de gestão de restaurantes e de inteligência artificial. Também há iniciativas para criar novos modos de transporte para as entregas, que incluem drones, patinetes e robôs.

“Não estamos atirando para todos os lados. Nosso foco é na cadeia de valor de alimentação. A empresa tem compromisso com crescimento sustentável e temos cumprido o que estava previsto em nosso plano de negócios”, disse Barreto, sem mencionar números financeiros da companhia.

Crescimento

Enquanto isso, para enfrentar os novos nomes no mercado de entrega de refeições, o iFood tem focado em ampliar vínculos com entregadores e restaurantes, oferecendo seguro para 100% dos 83 mil entregadores cadastrados em sua plataforma no país, disse Barreto. Uma das iniciativas recentes foi oferta em novembro de descontos para abastecimento de combustível dos veículos dos entregadores em postos de rede parceira da empresa.

“Naturalmente, tem mais competição. Mas a empresa apresentou forte crescimento nos últimos anos. Apesar da competição, temos feito um trabalho sustentável”, disse.

Nesta sexta-feira, 13, o iFood também anunciou novos números de sua operação. Em novembro, o número de pedidos entregues pela empresa no Brasil chegou a 26,6 milhões – alta de 116% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em setembro, último dado divulgado pela startup, foram entregues 21,5 milhões de refeições. O número de cidades com serviços do iFood também cresceu em novembro no País para 912 ante 459 do ano anterior. A base de restaurantes também disparou de 52 mil para 131,3 mil no período.

“Não imaginamos motivo para o mercado não apresentar a mesma velocidade de crescimento deste ano.”

Apesar do salto nas operações e do avanço dos rivais sobre seu mercado, Barreto afirmou que a companhia não trabalha com a possibilidade de uma eventual oferta inicial de ações (IPO), aproveitando o bom momento da bolsa brasileira, uma vez que conta com sua própria geração de caixa e com o aporte recebido no ano passado. “Isso será suficiente para os planos de crescimento da empresa nos próximos anos”, afirmou o executivo.

Fonte: NewTrade | 19 de dezembro de 2019.