Grupo Paquetá apresenta pedido de recuperação judicial

Um dos grupos calçadistas mais tradicionais do Rio Grande do Sul e do Brasil apresentou, nesta segunda-feira (24), pedido de recuperação judicial.

O Grupo Paquetá – The Shoe Company -, com matriz em Sapiranga, apresenta dívidas de R$ 638,5 milhões, conforme consta na proposta. A informação foi confirmada pela jornalista Marta Sfredo, do jornal Zero Hora.

As dificuldades enfrentadas pela Paquetá não são novidade no setor calçadista, e esta solução vinha sendo construída nos últimos meses. O pedido ainda precisa ser aceito e confirmado.

A Paquetá tem faturamento anual de cerca de R$ 1,3 bilhão, conta com 10.250 funcionários, 11 fábricas, 148 lojas próprias e 86 franquias. Num episódio recente, a empresa demitiu 600 empregados.

Em novembro do ano passado, o Portal Martin Behrend apresentou reportagem destacando o novo CEO do grupo e os planos para tentar voltar a crescer. A matéria pode ser relembrada aqui: https://www.martinbehrend.com.br/noticias/noticia/id/5447/titulo/novo-ceo-da-paqueta-fala-dos-planos-para-reestruturar-divida-e-voltar-a-crescer

Entre as marcas calçadistas do grupo, estão Ortopé, Capodarte e Dumond, além de produzir tênis das marcas Adidas e Asics. No varejo, tem as lojas Paquetá, Paquetá Esportes e Esposende.

O setor calçadista vai acompanhar com muita atenção esse processo de recuperação judicial. Isso porque, o grupo é grande comprador de matéria-prima de diversas indústrias da cadeia coureiro-calçadista.

Um eventual fechamento ou radical diminuição dos negócios da Paquetá poderia arrastar outras empresas fornecedoras a grandes problemas, causando um efeito negativo em toda região – e também em outras regiões produtivas do setor calçadista brasileiro.

Outras tradicionais empresas do segmento coureiro-calçadista ingressaram, ainda em 2018, com pedido de recuperação judicial. Entre elas, a Artecola, de Campo Bom, e a Calçados Q Sonho, de Três Coroas.

HISTÓRICO

A Paquetá nasceu no dia 20 de junho de 1945. Inicialmente, atuando como uma pequena indústria de calçados. Atualmente, a empresa é formada por vários negócios: indústria de calçados, varejo de calçados, marcas próprias.

Fonte: Portal Martin Behrend | 25 de junho de 2019.