‘Governo deveria ter sido um pouco mais ousado’, diz CDL sobre reabertura de comércio e shoppings

O cronograma de flexibilização das atividades econômicas em Pernambuco na pandemia da Covid-19, apresentado pelo governo do estado na segunda (1º), não agradou à Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop)* nem à Câmara de Dirigentes Lojistas do Recife (CDL). Representantes das duas instituições disseram à TV Globo que se sentiram frustrados com a falta de datas para retomada das atividades porque isso compromete o planejamento (veja vídeo: https://globoplay.globo.com/v/8596902/).

O protocolo para retorno da atividade econômica deve durar 11 semanas. Na segunda-feira (1º), foram autorizados a funcionar lojas de material de construção e o delivery (serviço de entrega) do comércio não essencial.

A partir do dia 8 de junho, a construção civil inicia o retorno gradual, tanto no Grande Recife quanto no interior. Em 15 de junho, voltam a funcionar salões de beleza, barbearias e serviços de estética, além de delivery e coleta em shoppings e centros comerciais.

“O governo nos frustrou porque precisávamos ter uma data efetiva. O processo de delivery ainda é muito novo no cenário do varejo e, de fato, alcança muito bem o setor de alimentação, mas os outros setores ainda estão muito aquém da exigência desse novo processo de vendas. Por isso, a data é importante para que os lojistas possam se preparar”, afirmou o presidente da Alshop, Ricardo Galdino.

De acordo com o diretor executivo da CDL, Fred Leal, o setor esperava passos maiores no plano divulgado (veja vídeo: https://globoplay.globo.com/v/8597551/). “A gente entende a preocupação do governo, estamos conscientes de que temos que preservar a vida dos consumidores e colaboradores, mas achávamos que o governo deveria ter sido um pouco mais ousado”, declarou.

Ainda segundo Fred, não há números consolidados, mas estima-se que 10% das lojas não conseguem retornar após os impactos da pandemia. “São 80 dias do comércio todo praticamente fechado, com exceção dos supermercados, setor de farmácia e algumas empresas que conseguiram, através das plataformas digitais e do comércio eletrônico, tirar um pouco o prejuízo”, disse.

Os shoppings de Pernambuco estão preparados para abrir as portas, de acordo com Ricardo Galdino. “Estamos falando de 3.500 lojas no estado, 45 mil empregos gerados. E são dados importantes que precisam ser muito bem analisados. Estamos à disposição para ajudar prefeitura e governo com dados e vídeos do sul do país de shoppings que já abriram e não houve qualquer tipo de tumulto”, contou.

O G1 procurou o governo de Pernambuco para saber se o estado vai se pronunciar sobre as críticas feitas pela CDL e pela Alshop, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Covid-19 em Pernambuco
Mais 608 casos e 58 óbitos por conta da Covid-19 foram confirmados em Pernambuco nesta terça-feira (2). Com isso, o estado passou a contabilizar 35.508 registros dessa doença causada pelo novo coronavírus, além de 2.933 mortes provocadas por ela. Esses números começaram a ser registrados em março, com o início da pandemia.

Fonte: G1 | 02 de junho de 2020

  • *Nota: Ricardo galdino é presidente executivo da Aloshop (Associação de Lojistas de Shopping de PE)

Vídeos:

Ricardo Galdino: https://globoplay.globo.com/v/8596902/

Fred Leal: https://globoplay.globo.com/v/8597551/