Expectativa positiva para Black Friday em Pernambuco

Foto: Diário de Pernambuco

Em novembro, o comércio volta as expectativas para a Black Friday, que acontece amanhã. O dia de promoções a cada ano atrai um maior número de empresários brasileiros para a campanha. A expectativa para este ano é que 21% dos que atuam no comércio e no ramo de serviços devem aderir à Black Friday contra 16% em 2018, segundo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Na Região Metropolitana do Recife, a tendência é seguir a estimativa positiva do país, atingindo o patamar esperado na média nacional, de acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-Recife).

O mês de novembro já costuma ter um movimento maior naturalmente do varejo por conta da proximidade com o Natal e, neste ano, o comércio do Centro do Recife passou a funcionar de domingo a domingo desde o último dia 15, que caiu em uma sexta-feira e foi feriado da Proclamação da República. Porém, a Black Friday tem se estabelecido no calendário nacional de datas comemorativas, ajuda a impulsionar as vendas e vai fazer com que o mês feche com saldo positivo. Principalmente levando em consideração o pagamento da primeira parcela do 13º salário. Segundo pesquisa da CNDL, o percentual de trabalhadores que vão usar o dinheiro para comprar presentes cresceu de 23% para 32% entre 2018 e 2019.

As lojas online ainda têm a preferência dos consumidores na hora de comprar produtos da Black Friday, com 77%, seguido das lojas físicas (54%), como os shopping centers (33%), as lojas de rua e de bairros (28%) e os supermercados (16%). Em Pernambuco, alguns setores específicos do comércio se beneficiam de forma mais efetiva com a campanha de descontos. “Aqui, a tendência é que as lojas de shopping tenham uma maior adesão do que as de rua, mas também as lojas de grandes redes, que estão nos dois locais. O apelo ainda é muito focado em eletro e eletrônicos, mas já entram também setores como confecção e sapatos, lazer e restaurantes. Não é uma data como o Natal, mas as vendas locais acompanham as nacionais”, explica Cid Lôbo, presidente da CDL-Recife.

Porém, os empresários estão otimistas quanto as vendas. A pesquisa da CNDL aponta que 43% dos empresários brasileiros acreditam que, durante o evento, as vendas serão melhores do que em 2018. Segundo o presidente da CDL-Recife, a Black Friday não atrapalha as vendas do Natal e, inclusive, servem como uma antecipação. “A Black Friday é um bom parâmetro para o final de ano, se for boa, teremos um Natal forte também. Muita gente aproveita para antecipar as compras, mas não deixa de comprar no Natal os presentes, são coisas diferentes. Há uma concorrência nos ramos de eletro e eletrônico porque, por exemplo, uma pessoa não vai comprar uma televisão em novembro e outra em dezembro. Mas outras coisas não, ela pode comprar uma roupa ou um sapato nos dois meses”, conclui.

Fonte: Diário de Pernambuco | 28 de novembro de 2019