Brasileiro desviou do crédito no Dia dos Pais

Foto: DCI

Considerado como um importante termômetro para o varejo no segundo semestre, o Dia dos Pais evidenciou o comportamento de um consumidor mais reticente em relação às compras feitas no cartão de crédito. Até o início de 2019, o uso do plástico deve ser mais recorrente para aquisição de itens de necessidade básica.

De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), no período comemorativo deste ano, as vendas a prazo recuaram 0,1% ante 2017, quando o aumento de compras nessa categoria foi de 8,8%.

“É importante lembrar que essa alta verificada, no ano passado, não é suficiente para compensar as perdas dos anos e recessão econômica”, diz a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Segundo a economista, o consumidor está concentrando os gastos do cartão de crédito em itens de primeira necessidade, como por exemplo supermercados, produtos farmacêuticos e gasolina. “O problema disso é que quando essas pessoas tiverem um problema mais sério não terão para onde recorrer com o cartão já comprometido, podendo atrasar a fatura e arcar com juros mais caros”, argumentou a especialista.

Para ela, as explicações para a “estagnação” no comportamento do consumidor brasileiro pode ser explica com o cenário político-econômico do País. “O mercado de trabalho ainda está muito fraco. Mesmo aqueles que estão conseguindo emprego, não demonstram propensão a gastar com uma renda ainda restrita”, completa Kawauti.

Além disso, para as próximas datas comemorativas do segundo semestre de 2018, a economista afirma que o clima para consumir deve ser o mesmo verificado neste Dia dos Pais. Ela explica também que, para os próximos meses, os consumidores devem conter um pouco mais as compras arrojadas em virtude da aproximação das eleições – cujas incertezas têm feito todo o tipo de investimento ficar em segundo plano.

“Mesmo que tenhamos um cenário mais definido em outubro, o setor não deve reagir com força suficiente até o final do ano. No início de 2019 devemos perceber uma melhora de mercado mais efetiva”, declarou Kawauti.

Com um orçamento mais restrito para presentear, o estudo revelou também que, os produtos mais procurados neste período foram as roupas, perfumes e cosméticos, calçados e acessórios masculinos, como cintos, carteiras, além de relógios e meias.

Segundo o levantamento realizado pela empresa de informação ao crédito Boa Vista SCPC, e divulgados ontem, as vendas totais para o período de Dia dos Pais deste ano cresceram 2,8% em relação aos resultados obtidos em 2017.

Perdas passadas

O resultado positivo, no entanto, ainda não é suficiente para tapar os prejuízos acumulados nos anos de recessão. Em 2015, a variação de queda na comercialização de itens para a data foi de 0,8%; e, em 2016, girou em torno de 5,2%. Nesse sentido, outro fator ponderado pela economista-chefe do SPC Brasil é que o desempenho nas vendas totais de todas as datas comemorativas de 2018 apresentaram desempenho positivo, em linha com uma economia em retomada lenta e gradual.

Para o estudo, a entidade – que tem abrangência nacional – se baseou nas consultas realizadas no banco de dados da Boa Vista SCPC feitas entre 5 e 12 de agosto.

Fonte: DCI | 14 de agosto de 2018